The page you're viewing is for Portuguese (LATAM) region.

Parceiros

The page you're viewing is for Portuguese (LATAM) region.

Aproveitando a edge computing
para o crescimento dos negócios

O que é edge computing?

A edge computing está simplesmente otimizando o processamento de dados.

As grandes quantidades de dados criados pelas organizações nem sempre podem esperar para serem processadas fora do local por redes corporativas ou fornecedores de cloud. Esses dados produzidos por dispositivos de usuários, máquinas ou conexões máquina a máquina (machine-to-machine, M2M) podem ser coletados e analisados na edge para fornecer insights imediatos para empresas e aplicações que não podem ter atrasos devido à latência.

A edge computing coloca conteúdo, dados e processamento mais próximos das aplicações, coisas e usuários que consomem e interagem com eles.”

Aspas

[Edge computing] aborda a clássica dúvida da carga de trabalho de TI de “O que vai aonde?” e incentiva o posicionamento de carga de trabalho e recursos que otimiza o equilíbrio de latência, largura de banda, autonomia e segurança em um conjunto contínuo de opções, de data centers de hiperescala a termostatos domésticos.

– Gartner

Aspas

“Os gastos globais com edge computing chegarão a US$ 250 bilhões em 2024.”

Os participantes da pesquisa Vertiv Data Center 2025 esperam um crescimento de 400% em centros de edge.

A negociação de alta velocidade, a entrega de conteúdo de alta definição e os carros autônomos dependem de recursos de computação quase em tempo real. Sem eles, esses aplicativos podem ter problemas de desempenho prejudiciais, desde perdas financeiras até uma experiência de usuário ruim, ou até mesmo eventos fatais. Da mesma forma, com contato direto com o consumidor, como organizações de saúde e varejistas, podem querer levar ofertas ou serviços para dispositivos móveis e dispositivos vestíveis dos consumidores, mas devem cumprir as regulamentações de privacidade de dados. Como consequência, essas empresas preferem processar e armazenar dados em centros de edge, instalações locais que elas controlam, em vez de em cloud para simplificar a conformidade regulatória.

A edge computing resolve uma infinidade de necessidades organizacionais e requisitos de aplicação, o que abre um mundo de possibilidades.

Saiba mais sobre as soluções de edge Vertiv.

Benefícios da edge computing

Os dados estão aumentando exponencialmente em volume, variedade, velocidade e variabilidade. Além dos dados de negócios, as organizações podem aproveitar dados de usuários online e móveis, redes sociais, transações, dados M2M, dados de registros e outras fontes para adquirir novas percepções. No entanto, muitos desses dados nunca são coletados ou usados.

O uso atual de dados da sua organização pode ser semelhante a um desenho com giz pastel, mas se você explorar o potencial do big data, poderá criar modelos de dados ricos, em 3D e coloridos. Ao melhorar suas percepções ao longo do tempo com inteligência artificial (IA) e machine learning (ML), você pode identificar novas oportunidades de negócios B2B e B2C, aprofundar os relacionamentos com os clientes, melhorar o retorno sobre o investimento (return on investment, ROI) e aumentar a participação de mercado.

A indústria está evoluindo rapidamente, criando demandas crescentes por dados e analytics. Essas tendências incluem transformação digital, modelos de trabalho híbridos, automação, robótica avançada, aplicativos de Internet das Coisas (IoT) e realidade aumentada/realidade virtual (RA/RV), para citar apenas algumas.

Analistas estimam que 50% dos dados corporativos serão gerados fora dos data centers até 2023.

As redes 5G são a peça final do quebra-cabeça, fornecendo às organizações a largura de banda e as velocidades de processamento ultrarrápidas de que precisam para fornecer aplicações de uso intensivo de dados para consumidores e usuários empresariais quase em tempo real. Enquanto as cargas de trabalho em cloud podem levar até 100 milissegundos para serem processadas, a edge e o 5G poderão, em última análise, levar o processamento para menos de um milissegundo.

Levará tempo para que o 5G alcance todo o seu potencial, devido aos padrões emergentes e à sua implantação mais lenta, de modo que a edge computing essencialmente age como a “etapa final” para processar dados e manter a latência baixa, atualmente em torno de 10 a 50 milissegundos, dependendo da localização.

O edge, com suporte das redes 5G, ajudará as organizações a capturar, processar e operacionalizar negócios, dispositivos móveis, redes sociais, M2M e outros tipos de dados. Como resultado, a importância da edge computing crescerá exponencialmente nos próximos anos.

Ao aproveitar a capacidade da edge computing de processar cargas de trabalho de dados na fonte, as organizações podem agregar novo valor de negócios. Elas podem automatizar processos essenciais, usar novas analytics para informar sobre a tomada de decisões estratégicas, customizar produtos e serviços digitais e oferecer uma experiência excepcional ao usuário final, entre outras metas estratégicas.

“As empresas gastarão em média 30% de seus orçamentos de TI em edge computing entre 2019 e 2022.”

benefits-of-the-edge.png

A edge computing abrange uma ampla variedade de aplicações, casos de uso e infraestruturas de computação da indústria. O significado de edge computing para as empresas pode variar significativamente de uma para outra.

Explorando o ecossistema de edge computing

A diversidade de aplicações de edge pode criar um pouco de confusão; portanto, pode ser útil pensar nelas primeiro em termos de arquétipos antes de detalhar os casos de uso. A Vertiv analisou mais de 100 casos de uso da indústria para desenvolver os quatro arquétipos a seguir, organizados por requisitos de largura de banda, latência, segurança e disponibilidade:

  • Uso intensivo de dados: a quantidade de dados torna impraticável a transferência pela rede diretamente (devido a problemas de volume de dados, custo ou largura de banda)
  • Sensível à latência humana: os serviços são otimizados para consumo humano
  • Sensível à latência máquina a máquina: os serviços são otimizados para consumo máquina a máquina
  • Crítico à vida: casos de uso que causam impacto direto à saúde e à segurança humanas.

90% das corporações industriais usarão edge computing até 2022.”

Aplicações e arquétipos de edge

USO INTENSIVO
DE DADOS

  • Conectividade restrita
  • Fábricas/cidades inteligentes
  • Casa/Edifício Inteligente
  • Distribuição de conteúdo em alta definição
  • Computação de Alto Desempenho
  • Realidade Virtual
  • Digitalização de Petróleo e Gás
  • Altos custos da infraestrutura de rede

Largura de banda

Latência

Disponibilidade

Segurança

SENSÍVEL À LATÊNCIA
MÁQUINA A MÁQUINA

  • Segurança Inteligente
  • Smart Grid (Rede Elétrica Inteligente)
  • Distribuição de Conteúdo com Baixa Latência
  • Análise em Tempo Real
  • Simulação das Forças de Defesa

Latência

Largura de banda

Disponibilidade

Segurança

CRÍTICO
PARA A VIDA

  • Saúde Digital
  • Carros conectados/autônomos
  • Drones
  • Transporte Inteligente
  • Robôs Autônomos

Latência

Largura de banda

Disponibilidade

Segurança

SENSÍVEL À
LATÊNCIA HUMANA

  • Otimização do Website
  • Realidade Aumentada
  • Varejo Inteligente
  • Processamento de Linguagem Natural

Latência

Largura de banda

Disponibilidade

Segurança

Necessidade alta
Necessidade média

A R(evolução) da edge computing

A edge computing não é algo novo. Ela começou no final da década de 1990, quando as organizações lançaram redes de entrega de conteúdo (content delivery networks, CDNs) e redes peer-to-peer (P2P), baseando-se em esforços anteriores de compartilhamento de arquivos.

A edge computing deve sua verdadeira ascensão à cloud computing, estimulada pela Amazon Web Services (AWS), Microsoft e outras. As organizações que adotaram a cloud computing realizaram altos investimentos de capital iniciais e adquiriram tecnologia fixa e difícil de modernizar para serviços inovadores sob demanda, pagos conforme o uso, que evoluem continuamente. Com a cloud computing, as organizações podem responder ao crescimento dos negócios e aos picos de demanda em tempo real e reduzir custos ao longo do tempo. Embora a cloud tenha levado algum tempo para alcançar esse ritmo, as organizações estão cada vez mais adotando estratégias de TI em que a cloud é uma prioridade.

A fog computing conecta a edge e a cloud, ou mais precisamente, dispositivos conectados à IoT e data centers remotos. A fog computing normalmente consiste em servidores de edge que são agrupados em cloudlets ou micro data centers para fornecer armazenamento e processamento local, aprimorando a coleta e o controle de dados. A fog computing difere da edge computing, à medida que a fog leva o processamento para redes locais, enquanto a edge leva grande parte do processamento para os próprios dispositivos. No entanto, como todo o processamento é localizado, em vez de baseado em cloud, alguns analistas veem os termos “fog” e “edge” computing como intercambiáveis.

800x600-smartcabinet-vid_335261_0.png
Vídeo: Vertiv™ SmartCabinet™

“A Internet de edge não é uma extensão da cloud ou um subconjunto do 5G. A Internet de edge é uma transformação fundamental em como a computação é executada. Estamos migrando da cloud centralizada para a arquitetura habilitada ou orientada por edge, e o que isso significa é que você começa a implantar nós mais próximos do usuário e sob demanda.”

– Chetan Sharma, analista

Ao mesmo tempo, os avanços do mercado relacionados a chips, baterias, servidores, energia de precisão e tecnologias de refrigeração, permitiram o desenvolvimento de micro data centers sofisticados e racks de TI. Esses recursos de computação de menor escala podem ser instalados de maneira flexível onde e quando necessário.

Além disso, o software de gerenciamento e de monitoramento remoto permite que as equipes de TI supervisionem os centros de edge sem a necessidade de se deslocar para locais externos para realizar manutenção de rotina ou solucionar problemas. A equipe de TI pode configurar, atualizar e manter dispositivos usando conexões seguras e ferramentas remotas.

Enquanto a infraestrutura local e a cloud computing centralizam o processamento da carga de trabalho, a edge computing a descentraliza. Devido à sua própria natureza, as redes de edge permitem certos tipos de aplicações que não seriam possíveis de outra forma.

Você deve usar cloud, fog ou edge computing? A resposta é provavelmente todas as opções acima. Edge e fog computing não substituem a cloud computing. Eles a ampliam e a aprimoram.

Considere uma ampla variedade de requisitos comerciais e técnicos para selecionar os melhores modelos de computação para o seu negócio. Como mostra o gráfico à direita, a resposta nem sempre é direta.

Equipes de TI, estrategistas e especialistas em inovação podem ajudar você a entender onde fazer investimentos em tecnologia e cargas de trabalho, agora e no futuro.

Isso é importante porque, assim como ocorre com outras tecnologias, os padrões, recursos, ferramentas e conexões emergentes estão mudando rapidamente. Entender para a direção da edge computing pode ajudar você a projetar redes interoperáveis, em vez de incompatíveis, ao longo do tempo.

Tipos de centros de edge

A tecnologia de edge é implantada em uma ampla variedade de centros. Normalmente, esses centros seguem quatro padrões de implementação:

  • Geograficamente dispersa: Centros de tamanho semelhante espalhados por um país ou região. Exemplos incluem lojas de varejo e agências bancárias.

  • Hub and spoke: Pequenos centros “spoke” organizados em torno de um centro “hub” maior em um país ou região. Exemplos incluem redes de comunicações e logística.

  • Concentrado localmente: Redes locais, com pequenos centros conectados a uma instalação central maior, muitas vezes em uma configuração de campus. Exemplos incluem assistência médica, educação e operações industriais.

  • Fronteira autossustentada: Centros de edge individuais de grande porte com presença regional ou global generalizada. São, muitas vezes, data centers modulares que atendem áreas dimensionáveis. Os exemplos incluem serviços em cloud e operações de recuperação de desastres naturais.

Os centros de edge podem ser analisados mais detalhadamente de acordo com requisitos técnicos e ambientais. Quando categorizados dessa forma, eles incluem:

  • Condicionados e controlados: Espaços construídos para fins específicos, com controle de temperatura e segurança. A única diferença é a densidade por rack. Data centers de edge se encaixam nessa categoria.

  • Comerciais e escritórios: Espaços ocupados com controle de temperatura existente, mas limitado. Normalmente, esses sites são menos seguros. Um complexo de consultórios para um grupo de médicos se encaixa nessa categoria.

  • Difíceis e resistentes: ‘Locais que exigem sistemas e gabinetes robustos para proteção contra poluição do ar. São frequentemente centros industriais que podem ser ameaçados pela exposição à água e estão próximos a tráfego pesado ou máquinas. Eles não possuem controle climático e são muito menos seguros. Uma estação de tratamento de água em uma universidade é considerada um local difícil e resistente.

  • Áreas externas independentes: Esses locais sem pessoal são expostos a elementos externos e exigem um abrigo ou um recinto. Eles podem estar em locais remotos com acesso difícil para realização de manutenção. As torres de celular são um exemplo perfeito dessa categoria.

Entendendo a arquitetura de edge

Ao projetar sua arquitetura de edge, provavelmente começando com a arquitetura de energia desejada, você precisará fazer uma variedade de outras considerações, incluindo:

Necessidades de latência: Embora muitas aplicações de negócios possam tolerar latência de 100 milissegundos ou mais, outras não conseguem. Isso afeta o tipo de centro de edge que você cria e onde ele será colocado.

Condições ambientais: Se um centro de edge está em uma instalação de negócios, em vez de um data center adequado para a finalidade, você precisará considerar problemas como calor, umidade, fluxo de ar, segurança e muito mais.

Espaço: Muitas indústrias possuem espaço próprio onde podem implantar centros de edge, mas outras, não. Por exemplo, empresas de telecomunicações alugam torres de celular, em vez de possuírem suas próprias.

Escala: Sua organização está implantando um ou milhares de centros de edge? Isso afetará o modelo de arquitetura de rede, a tecnologia e os processos de monitoramento e gerenciamento que você usa.

Automação: Considere o uso da automação para simplificar os processos de rotina, como configuração e atualização de dispositivos em vários locais de edge fora do site.

Painel de controle único: Um dashboard centralizado facilitará a supervisão das operações de edge, principalmente à medida que elas crescem.

Gerenciamento Remoto: A capacidade de monitorar e gerenciar dispositivos remotamente simplifica as responsabilidades diárias de TI. Com recursos de gerenciamento externos, as equipes de TI podem acessar dispositivos de edge diretamente no caso de uma interrupção da rede.

Resiliência: Como outras redes de TI, os centros de edge devem ser construídos para terem resiliência. Por exemplo, as fontes de alimentação de energia ininterrupta (UPS) fornecem energia de reserva para continuar as operações em caso de falta de energia.

Escalabilidade com 5G

Os fornecedores de telecomunicações estão implementando redes 5G em todo o mundo. Essas novas redes de telecomunicações celulares fornecem exponencialmente mais largura de banda e velocidades de processamento mais rápidas do que as redes 4G atuais. Elas também habilitam a edge computing multiacesso (multi-access edge computing, MEC), às vezes chamada de edge computing móvel, que levam a execução de aplicações e outras tarefas de processamento para mais perto do usuário, o que melhora o desempenho.

Essas inovações permitirão que as organizações aproveitem o poder dos dados móveis para criar uma imagem mais completa do comportamento e das necessidades do usuário. Elas também permitirão a execução de aplicativos de dados e analytics intensivas, como robótica avançada, aplicativos inteligentes (cidades, fábricas, segurança, transporte, vestíveis), VR/AR e muito mais.

“As redes 5G terão as velocidades 10X maiores em relação às redes 4G.”

Até 2024, mais de 40% da população mundial deverá ter acesso às redes 5G. Como consequência, as organizações estão se preparando para a próxima “corrida do ouro” de novas oportunidades de negócios. As empresas que conseguirem explorar primeiro os casos habilitados para 5G provavelmente terão uma participação de mercado maior.

Oportunidades e metas de edge

As organizações da indústria estão avançando rapidamente para capitalizar a riqueza de novos dados que estão sendo criados. A edge computing pode ajudar a impulsionar o crescimento dos negócios, reduzir a latência, ampliar sua infraestrutura de cloud híbrida e capitalizar o poder da inteligência artificial (IA) e do machine learning (ML).

Provavelmente, você também tem metas para seus centros de edge, incluindo implementação, atualização, expansão e gerenciamento e monitoramento desses recursos de computação. Como ocorre com todo tipo de tecnologia, vale a pena entender toda a sua variedade de opções, adotar soluções baseadas em padrões sempre que possível e adotar uma abordagem de ciclo de vida para o investimento e o gerenciamento.

800x600-202516-GettyImages-600095258_202522_0.jpg

Oportunidades de crescimento de edge

A pandemia acelerou os gastos com edge computing, à medida que as empresas investiam em produtos e serviços digitais. Mas a corrida está apenas começando. Então, onde veremos o maior avanço no crescimento da edge?

Hardware, software e serviços: A IDC projeta que os gastos com edge computing e armazenamento aumentarão para US$ 33,3 bilhões até 2024, à medida que as organizações desenvolverem infraestrutura. As empresas também investirão em monitoramento remoto e serviços de parceiros para gerenciar centros de edge computing.

Adoção regional: Não é surpresa que a região Ásia-Pacífico seja líder na adoção de edge, considerando o alto investimento da região em automação, robótica e aplicativos inteligentes. A região Ásia-Pacífico terá 37,7% do espaço ocupado mundial de edge de infraestrutura até 2028. A Europa está logo atrás, com 29% de espaço ocupado mundial. Os Estados Unidos representarão 20,5%, a América Latina 7% e África e Oriente Médio 5,8%, de acordo com um relatório da The Linux Foundation.

Aplicações B2C versus B2B: Cerca de 36,5% do espaço ocupado mundial de edge de infraestrutura será focado em consumidores móveis e residenciais, enquanto 11,9% serão direcionados para usos de TI empresarial. Os fornecedores de serviços de comunicação (Communication service providers, CSPs), também conhecidos como empresas de telecomunicações, representarão mais 10,4% do espaço ocupado mundial.

Cloud: O crescimento da cloud aumentou durante a pandemia. De acordo com um estudo da Nutanix, cerca de 86% dos tomadores de decisão de TI acreditam que uma infraestrutura de cloud híbrida é o modelo ideal e 46% deles aceleraram os investimentos em 2020. No entanto, o crescimento da edge está tão forte, que os fornecedores de cloud estão oferecendo recursos de edge, pois enxergam a edge como uma oferta competitiva que poderia reduzir a participação de mercado.

IoT: Com o 5G e o crescimento de edge, a IoT dará um salto gigantesco. Muitas organizações têm dispositivos que podem ser conectados para obter novas percepções, mas não têm os recursos de integração de dados, poder de processamento e orçamento para fazer isso acontecer. O Edge resolve esses problemas. No domínio B2C, os consumidores estão se tornando mais confortáveis com experiências conectadas e estão dispostos a abrir mão de seus dados para desfrutar de serviços personalizados. Como resultado, as aplicações de IoT B2B e B2C aumentarão.

800x600-edge-growth-opportunities.png

Fonte: The Linux Foundation

Latência: Os consumidores estão cada vez mais relutantes em esperar. Os estudos de comércio eletrônico registraram que até mesmo uma melhoria de 0,1 segundo aumenta o engajamento e as vendas das páginas. Da mesma forma, para aplicações críticas à vida ou para os negócios, como a negociações, a latência significa perda. A corrida para alcançar menos de um milissegundo caracterizará os próximos anos, em que haverá vencedores e perdedores. Com o passar do tempo, a latência próxima de zero se tornará o padrão da indústria.

Analytics e automação: Analytics, automação e otimização de processos suportados por IA e ML dependem da capacidade de executar o processamento quase em tempo real de vastos conjuntos de dados. A edge computing torna isso possível eliminando a necessidade de transferir cargas de trabalho para a cloud e possibilitando a tomada de decisões quase instantânea. Além disso, a edge computing permite que as organizações realizem analytics em dados confidenciais, como transações de consumidores ou dados de saúde ou fiscais, enquanto protegem a privacidade dos dados.

Como a latência prejudica a experiência do usuário

Tempo para carregar (milissegundos)

Impacto para o usuário

0 a 16

Os usuários são excepcionalmente bons em monitorar o movimento e não gostam quando as animações não são regulares. Eles percebem as animações como regulares, desde que 60 novos quadros sejam renderizados por segundo. Isso significa 16 milissegundos por quadro, incluindo o tempo que leva para que o navegador “pinte” o novo quadro na tela, deixando cerca de 10 milissegundos para que o aplicativo produza um quadro.

0 a 100

Responda às ações do usuário dentro desse intervalo e eles percebem o resultado como se fosse imediato. Se demorar um pouco mais, a conexão entre ação e a reação é interrompida.

100 a 300

Os usuários identificam um pequeno atraso perceptível.

300 a 1.000

Dentro desse intervalo, o usuário sente que as ações são parte de uma progressão natural e contínua de tarefas. Para a maioria dos usuários na web, carregar páginas ou alterar exibições representa uma tarefa.

1.000 ou mais

Quando passa de 1.000 milissegundos (1 segundo), os usuários perdem o foco na tarefa que estão executando.

10.000 ou mais

Quando passa de 10.000 milissegundos (10 segundos), os usuários ficam frustrados e provavelmente abandonam as tarefas. Pode ser que eles voltem ou não mais tarde.

Fonte: Deloitte


As oportunidades de edge são aparentemente ilimitadas, o que levará a um investimento significativo nessa esfera. As organizações não querem ficar para trás na corrida para gerar mais receita com os dados que já possuem.

Como a edge habilita a IoT

O 5G e a edge computing habilitarão o potencial da IoT, fornecendo a largura de banda, baixa latência e recursos de processamento local necessários para fornecer aplicativos B2B e B2C.

Isso é importante porque as empresas estão conectando mais dispositivos do que nunca em um esforço para obter mais percepções, permitir a automação e criar sistemas conectados de inteligência.

43 bilhões – O número de dispositivos IoT existentes até 2023.”

Os consumidores já viram o impacto da IoT em sistemas domésticos inteligentes, incluindo dispositivos vestíveis de segurança, saúde e exercícios físicos, marketing móvel em lojas e autoatendimento de varejo, entre outros usos.

800x600-edge-data-process.png

Fonte: Ez En Route

A IoT causará o maior impacto no mundo dos negócios e no mundo governamental. A IoT já foi operacionalizada por empresas de manufatura para permitir processos automatizados, de robótica e manutenção preventiva e preditiva. Com milhões de dólares investidos em equipamentos, a IoT pode ajudar as organizações a evitar falhas caras ou interrupções inesperadas.

Os sensores de IoT coletam uma grande variedade de informações sobre os dispositivos aos quais estão conectados, incluindo o fluxo de ar, temperatura, umidade do ar, composição química, nível, presença de líquidos, movimento, velocidade, proximidade com outros dispositivos, qualidade da água, além de outros fatores. Como resultado, os sensores de IoT podem criar uma imagem precisa do desempenho dos dispositivos e das condições adjacentes.

Os sensores, a conectividade difundida e o processamento ultrarrápido permitirão o transporte inteligente com iluminação, gerenciamento de tráfego e pedágios sincronizados. Edifícios inteligentes melhorarão o conforto do usuário e ajudarão os trabalhadores a gerenciar e otimizar espaços. Nas cidades inteligentes, os sistemas de inteligência simplificarão a forma como os moradores trabalham, divertem-se e viajam. Carros autônomos tornarão os deslocamentos de rotina mais seguros e agradáveis. Está claro que o mundo será radicalmente diferente em apenas algumas décadas, à medida que as aplicações de IoT se tornarem mais sofisticadas e com capacidade de interoperação.

As equipes de produtos podem usar RV/RA para desenvolver e testar novos produtos, colaborando e integrando facilmente o feedback do consumidor. Os trabalhadores da linha de frente nas indústrias de saúde, manufatura e outras podem usar a RV/RA para acessar a expertise remota de que precisam para fazer seu trabalho.

Os dispositivos IoT têm sensores que transmitem informações contínuas sobre a integridade, desempenho e status. Esses dados são agregados e processados, por edge computing ou cloud computing. Quando processados em edge, os sistemas conectados podem aproveitar a inteligência quase em tempo real. Eles também podem converter ciclos virtuosos de feedback em melhorias dos processos ao longo do tempo.

“A IoT terá um impacto econômico potencial entre US$ 4trilhões e US$ 11 trilhões até 2025.”

800x600-iot-video-thumb.png

Vídeo: A rede de sensores sem fio WSN Vertiv™

Como as organizações usam redes de edge para habilitar aplicações IoT?

Aplicações de IoT

  • Utiliza dispositivos inteligentes: Os sensores coletam vários pontos de dados sobre as condições de um dispositivo para uso com aplicações de IoT.
  • Implementa um gateway de IoT: O gateway ajuda a direcionar cargas de trabalho de maneira adequada, mantendo os dados em edge ou enviando para a cloud ou para o data center corporativo para processamento.
  • Conta com conectividade sólida: A conectividade de alta velocidade garante transferência de dados perfeita com latência mínima.

Edge computing

  • Usa processamento de eventos complexos (complex event processing, CEP): Os sistemas de CEP integram dados, procuram padrões e, em seguida, tomam ações automatizadas. Esses sistemas de código aberto são executados na cloud e em dispositivos de edge.
  • Utiliza ML e IA: Sua equipe de TI pode usar algoritmos existentes ou criar seus próprios algoritmos, todos com o objetivo de melhorar a capacidade de identificar certas condições e, em seguida, automatizar ações essenciais. Esses recursos são cada vez mais executados em dispositivos de edge, em vez de apenas na cloud.
  • Potencializa aplicações de edge da IoT: Os fornecedores estão agrupando recursos core, como CEP, IA e outras ferramentas em dispositivos, acelerando a implementação, atualizações e alterações.
  • Oferece armazenamento de dados offline: Com o armazenamento local, os dispositivos podem continuar operando em caso de interrupção da rede.
  • Fornece recursos consistentes de gerenciamento de dados: Recursos inteligentes determinam quais dados devem ser coletados e processados e em quais intervalos.

Metas de TI de edge

O ritmo acelerado da digitalização estimulou o crescimento da edge computing. Como consequência, as equipes de TI estão refinando estratégias de tecnologia para alinhar modelos de computação em relação aos objetivos comerciais e técnicos. Aqui estão alguns objetivos comuns que você pode ter para suas implementações de edge.

Implementação de infraestrutura de edge
Você quer evoluir sua infraestrutura híbrida/de cloud para habilitar novas aplicações de edge. Essas metas incluem:

1. Racionalização de cargas de trabalho: Decidir onde executar cargas de trabalho importantes com base em latência, custo, segurança, privacidade de dados ou outras questões.

Abordagem: Um parceiro de TI pode dar suporte, por meio da identificação das necessidades únicas com base nas aplicações e do desenvolvimento de uma estratégia geral de edge.

2. Criação de perfis de aplicações: Desenvolver uma infraestrutura de edge padronizada para diferentes tipos de aplicações traz consistência às implementações e garante que elas funcionem como esperado.

Abordagem: Desenvolver documentação padronizada, incluindo especificações, será fundamental para dimensionar sua presença de edge.

Atualização da infraestrutura de edge
Você quer dar suporte a novas aplicações e mais dados, o que exige atualizar sua tecnologia de edge existente. Suas metas incluem:

3. Garantir a alta confiabilidade da sua infraestrutura: As redes distribuídas ajudam a dar suporte aos seus negócios em crescimento. Manter o tempo de atividade e a taxa de transferência altos de todos os centros de edge é uma prioridade.

Abordagem: Avaliar topologias de UPS de interatividade de linha versus de dupla conversão, permitir conectividade para permitir monitoramento remoto e garantir que haja recursos adequados disponíveis para o serviço de UPS.

4. Simplificação da infraestrutura de edge: O crescimento é mais fácil com processos e tecnologia padronizados. Eles ajudam a acelerar pedidos, a implementação e o gerenciamento.

Abordagem: Considere padronizar a infraestrutura sempre que possível e solicitar equipamentos que ofereçam flexibilidade integrada para crescimento ou adaptabilidade dos negócios.

5. Implementação rápida de infraestrutura nova para dar suporte às atualizações de centros de edge: A tecnologia avançada para aplicações com uso intensivo de dados requer recursos de edge que acompanham o ritmo. Isso significa atualizar o equipamento de TI e a infraestrutura de suporte que o protege.

Abordagem: Determine a viabilidade de uso de serviços de integração de fábrica para receber infraestrutura pronta para TI. Por fim, você vai querer determinar a disponibilidade e o nível de habilidade da equipe ou dos parceiros para instalar a tecnologia de edge.

Expansão da infraestrutura de edge
Pode ser necessário colocar a TI em novos locais, onde ela nunca esteve antes. Isso significa projetar corretamente o espaço ocupado de computação, armazenamento e de rede, bem como selecionar os racks, a energia e o equipamento de refrigeração que oferecem suporte a essa infraestrutura. Suas metas incluem:

6. Obtenção de mais capacidade: Aumentar a produção nos locais existentes para dar suporte ao crescimento dos negócios.

Abordagem: Dimensione as unidades de UPS para atender aos requisitos em constante mudança, avalie as cargas de calor para determinar a necessidade de refrigeração específica e permita a conectividade para monitoramento remoto.

Monitoramento e gerenciamento de centros de edge
É importante centralizar sua visibilidade e controle sobre os centros de edge. É necessário garantir o tempo de atividade e a disponibilidade do equipamento, além de proteger o equipamento contra acesso não autorizado.

7. Gerenciamento de uma rede de edge em crescimento: Uma abordagem escalável para gerenciar equipamentos de TI minimizará as dificuldades crescentes, mantendo o desempenho alto.

Abordagem: Identifique tudo o que requer monitoramento, garanta que a infraestrutura de gerenciamento térmico e de energia esteja equipada para permitir a conectividade e certifique-se de que os indivíduos estejam disponíveis para monitorar e responder a alertas.

8. Ativação do gerenciamento remoto: O monitoramento atento das condições dos equipamentos de TI aumentará sua disponibilidade, utilização e eficiência.

Abordagem: Ferramentas e software de gerenciamento e monitoramento remoto ajudam a habilitar usuários autorizados, limitar ou bloquear operações que podem ser executadas e monitorar as condições ambientais e o desempenho dos dispositivos.

9. Gerenciamento de temperaturas em centros de edge: Os equipamentos de TI aumentam as temperaturas, principalmente espaços pequenos, como racks de TI. Se não for corrigido, o calor excessivo pode danificar os dispositivos.

Abordagem: Avalie a carga de calor da tecnologia, o que pode determinar se você precisa de refrigeração específica. O monitoramento ambiental remoto pode ajudar a equipe de TI a identificar pontos de acesso e resolvê-los de maneira proativa.

10. Como expandir o talento da sua equipe de TI: Nem sempre é prático ou desejável que as equipes de TI visitem os centros de edge.

Abordagem: Utilize software de gerenciamento e monitoramento remoto para configuração, atualizações e solução de problemas de rotina. Considere a possibilidade de contratar um parceiro local para instalar nova tecnologia e infraestrutura crítica de serviço, como baterias, quando necessário.

edge--it-goals-infographic.png

Soluções de edge computing

As equipes de TI normalmente querem obter e implantar soluções de edge em questão de dias ou semanas. As soluções conteinerizadas, como infraestrutura integrada, micro data centers e data centers modulares pré-fabricados, fornecem computação poderosa e outros recursos, enquanto oferecem velocidade de comercialização e segurança física.

As soluções de TI de edge integram controles de refrigeração e climatização, distribuição de energia e conectividade de rede. Elas também podem incluir equipamentos de segurança física, combate a incêndios, absorção de impacto, proteção contra interferência eletromagnética, condicionamento de energia, bem como UPS ou baterias. Normalmente, as equipes de TI também optam por dispositivos e software de gerenciamento e monitoramento remoto para ajudar a garantir que as soluções de edge funcionem como esperado.

800x600-ege-solutions.png

800x600-integrated-infra.png

Infraestrutura integrada

Esse equipamento permite que os usuários criem um data center em qualquer espaço disponível. Por exemplo, as escolas podem implantar unidades modulares em centros de edge ou nas próprias dependências. Até mesmo em um corredor vai funcionar.

A infraestrutura integrada é pré-validada e está pronta para implementação em dias; portanto, não há necessidade de projetar soluções ou integrar componentes. Elas são unidades seguras e completas que têm um design compacto e sistemas integrados de combate a incêndios, o que as torna ideais e seguras para uma ampla variedade de espaços.

800x600-micro-data-center.png

Micro data centers

Os micro data centers oferecem capacidade de computação poderosa em um espaço ocupado pequeno. Por exemplo, um centro de saúde ou hospital pode implantar um micro data center para dar suporte a aplicações de telemedicina.

Essas soluções completas combinam energia, refrigeração, monitoramento e racks, e podem ser implementadas dentro ou fora de um edifício, ou até mesmo funcionar como uma só.

800x600-prefab-modular-data-center.png

Data centers modulares pré-fabricados

Quando é necessária mais computação ou flexibilidade, a equipe de TI pode implantar um data center modular pré-fabricado que é facilmente montado no local. Com computação poderosa, esses data centers podem ser usados para permitir qualquer processo crítico para os negócios. Os exemplos incluem data centers para infraestrutura governamental crítica usada para gerenciamento de fronteiras, energia e água.

Essas soluções são projetadas, montadas, integradas e testadas previamente, o que significa que são de baixo risco e rápidas de implementar.

Outras considerações sobre edge computing

Você está no caminho certo para projetar e desenvolver sua infraestrutura de edge. Você entende as necessidades e os tipos de locais da sua aplicação e a tecnologia que vai implantar.

Você pode usar designs de referência para acelerar a implementação da tecnologia. Antes de escolher sua infraestrutura, há alguns outros problemas importantes que você deve considerar, incluindo eficiência de processamento de centro de edge, sustentabilidade, consumo de energia e custos ocultos de operação. Vamos dar uma olhada.

800x600-gxt5-vid_335262_0.png

Vídeo: Vertiv™ Liebert® GXT5 – Proteção de energia premium de edge

Design de infraestrutura de edge

Criar o design da infraestrutura para uma aplicação de edge pode parecer assustador. Devem ser consideradas todas as necessidades de computação, ambiente físico, requisitos de gerenciamento térmico e de energia, segurança física e recursos de gerenciamento e monitoramento remoto. Depois, há a questão complicada da tecnologia preparada para o futuro. Os padrões e dispositivos de edge estão mudando rapidamente. Tomar a decisão errada pode significar a necessidade de reinvestir em TI antes do esperado se o design não considerar o crescimento e a escalabilidade.

Além disso, se você não tiver uma equipe de TI pronta, talvez seja necessário tomar decisões de pesquisa e compra.

Felizmente, os fornecedores estão simplificando e padronizando o processo de compra. Eles podem oferecer designs de referência, que fornecem soluções recomendadas para atingir metas específicas. Eles normalmente fornecem racks com refrigeração integrada, distribuição de energia inteligente e fontes de energia de reserva. Outros componentes variam de acordo com os requisitos das aplicações. Eles também podem ser customizados com dispositivos e serviços adicionais.

Designs de referência fornecem uma solução completa e habilmente elaborada para enfrentar desafios comuns em vários ambientes. Cada design pode ser customizado de acordo com as necessidades individuais para atender às necessidades exclusivas do negócio. Serviços de instalação e manutenção também estão disponíveis para simplificar a implementação e proporcionar tranquilidade durante a vida útil dos produtos.

Os designs de referência fornecem acesso rápido à edge computing, para que um parceiro de TI possa minimizar o tempo de implementação, proteger a infraestrutura crítica e conectar-se ao monitoramento remoto de TI.

reference-design-samp.png

Eficiência e sustentabilidade de edge

À medida que o mundo enfrenta os impactos da mudança climática, a edge computing pode guiar o caminho para a obtenção de processos mais eficientes e sustentáveis. Embora haja alguns ganhos a serem alcançados com o processamento, a maior contribuição da edge será fornecer percepções que ajudem a indústria a otimizar processos em escala.

A cloud computing já é muito mais eficiente do que a maioria das pessoas tem conhecimento, graças aos avanços tecnológicos, incluindo o desenvolvimento de computação em hiperescala e sistemas otimizados de gerenciamento térmico e de energia.

De 2010 a 2018, a demanda por computação de data center (cloud e no local) foi cinco vezes maior do que o crescimento esperado. Em 2018, 89% de todas as instâncias de computação eram hospedadas por data centers em cloud. Apesar desse crescimento enorme, os data centers do mundo só consumiram 205 terawatt-hora de eletricidade, ou apenas 1% da eletricidade do mundo em 2018, de acordo com a Data Center Knowledge.

Mas a edge pode levar esses ganhos mais longe e mais rápido. Considere esses benefícios:

A Edge computing aumenta a eficiência

  • Os dados são processados e armazenados na origem: Isso elimina a necessidade de transferir dados para a cloud, o que torna o processamento mais eficiente e reduz o consumo de energia.
  • A edge pode ser usada para estender ou substituir a infraestrutura de TI: Agora, as organizações têm a opção de celebrar contratos incluindo suas necessidades de computação com fornecedores de cloud externos ou implantar infraestrutura de TI nos centros de edge. Como resultado, elas ganham flexibilidade e podem alinhar cargas de trabalho para atender aos principais objetivos e requisitos.
  • Os centros de edge podem ser gerenciados remotamente: Recursos gerenciamento e monitoramento remoto permitem que as equipes de TI configurem, atualizem e solucionem problemas de dispositivos. Com recursos de gerenciamento externo, é possível executar essas funções, mesmo quando as redes corporativas estão inoperantes.
  • A refrigeração a líquido oferece mais opções aos operadores de edge: Normalmente, a edge computing permite cargas de trabalho de alto desempenho, como análise de dados e ML. Isso aumenta o número de racks necessários, fazendo com que as temperaturas excedam os recursos de refrigeração das soluções tradicionais de refrigeração a ar. A refrigeração a líquido pode manter as temperaturas de maneira eficaz, mesmo em centros de edge que não possuem abastecimento de água.

A edge computing aumenta a sustentabilidade

  • Os centros de edge usam hardware que já está disponível: Os centros de computação em hiperescala prosperam usando a tecnologia mais avançada. A edge computing, muitas vezes, utiliza tecnologia convencional, incluindo servidores, smartphones, tecnologia operacional, como equipamentos de produção, computadores desktop e gateways de internet. É provável que você já tenha alguns dos componentes necessários para começar a usar a edge.
  • As aplicações de edge fornecem percepções poderosas: vazamentos de água de aplicações de IoT/edge, processos não otimizados e outros problemas que poderiam economizar bilhões de dólares e reduzir as emissões de carbono. Por exemplo, os edifícios comerciais dos EUA desperdiçam 30% da energia que usam, de acordo com o Departamento de Energia dos EUA. Assim, reduzir esse desperdício com IoT e edge computing pode contribuir para um planeta mais ecológico.
  • A edge computing permite sistemas de inteligência: a edge computing permite aplicações de grande escala, como a cadeia de suprimento e otimização de rede ou gerenciamento de demanda de energia, o que pode fornecer às organizações ferramentas para simplificar processos e minimizar o consumo de energia, mesmo a partir de fontes de energia renováveis. Isso é importante porque muitas organizações se comprometeram a alcançar a neutralidade de carbono nos próximos anos.
  • Uma infraestrutura específica pode otimizar a energia e a refrigeração: As empresas de infraestrutura desenvolveram sistemas completos, como soluções integradas de rack e data centers modulares, para reduzir o consumo de energia e melhorar a eficiência da refrigeração. Isso significa que sua tecnologia desperdiça menos energia e, ao mesmo tempo, permanece protegida contra o calor, a umidade e outras condições ambientais.

Gerenciamento dos custos de energia

À medida que as empresas de telecomunicações implementam redes 5G, elas implantarão milhões de servidores em data centers de edge menores. Como resultado, elas precisam lidar com a eficiência energética em escala. Os custos de energia das empresas de telecomunicações já representam de 5% a 7% de seus custos operacionais, de acordo com a STL Partners. Agora, o 5G aumentará esses custos.

De acordo com a STL, as empresas de telecomunicações podem impulsionar a eficiência energética implementando as seguintes práticas recomendadas:

  • Implementação de tecnologia de rede avançada: implementação de hardware e software projetados e operados para serem eficientes.
  • Ampliação da edge: implementação de novos data centers de edge para dar suporte à TI nativa em cloud.
  • Otimização do gerenciamento de infraestrutura: medição, monitoramento, gerenciamento, melhoria e automatização de processos essenciais.
  • Processos de investimento aprimorados: Ter uma visão holística do ciclo de vida dos custos e investimentos.
  • Colaboração: adoção de modelos e padrões comerciais inovadores por meio da colaboração.
  • Capacitação dos clientes: com a liderança pelo exemplo, as empresas de telecomunicações podem demonstrar como os clientes podem desenvolver serviços habilitados para 5G para reduzir as emissões de carbono.
  • Definição de uma boa governança: as empresas de telecomunicações podem usar compromissos públicos, parcerias estratégicas, políticas eficazes, incentivos, metas da força de trabalho e indicadores-chave de desempenho (key performance indicators, KPIs) para impulsionar a mudança.

800x600-energy-cost.png

Fonte: PWC

Computação sempre ativa

Normalmente, os centros de edge suportam serviços críticos, como conteúdo em alta definição, analytics de uso intensivo de dados e processos de serviços de saúde e fabricação. Eles também fornecem a capacidade de processamento de carga de trabalho necessária que amplia os recursos no local e na cloud.

É fundamental que os centros de edge sejam capazes de operar continuamente. No entanto, assim como os data centers, os centros de edge podem ser vulneráveis a eventos de downtime não planejados, causados por ataques cibernéticos, falhas de equipamentos de TI, erro humano ou falha de equipamentos de UPS ou baterias.

Nos centros de dados de edge em todas as regiões há uma média de 5,39 interrupções não planejadas em um período de 24 meses por esses motivos. Segundo o Ponemon Institute, essas interrupções duraram em média 45,4 minutos.

As restrições de custo também podem contribuir para interrupções se o equipamento não for monitorado e reparado proativamente. No entanto, os custos de manutenção normalmente são uma fração da perda de receita potencial se os centros de edge fornecerem serviços B2B e B2C vitais.

Felizmente, a equipe de TI pode usar uma série de práticas recomendadas para reduzir a possibilidade de uma interrupção incapacitante. Essas etapas são ilustradas no gráfico à direita.

800x600-alwayson-computing-vidthumb-.png

Vídeo: Como adotar uma abordagem de tolerância zero para o downtime do data center

Custos ocultos da edge computing

Os centros de edge precisam de energia reserva. Investir na UPS certa ajudará a garantir a confiabilidade e a alta disponibilidade das aplicações. Há alguns custos ocultos de gerenciamento da infraestrutura de UPS a serem considerados:

  • implementação, instalação e inicialização de sistemas UPS: Os custos iniciais incluem compras de UPS e baterias. No entanto, a instalação incluirá custos de mão de obra, à medida que os parceiros implementam e configuram a UPS e ativam e testam acessórios.

    Comprar sistemas de alimentação de energia reserva que estejam prontos para instalação pode ajudar a reduzir os custos com mão de obra. Além disso, talvez seja importante fazer parceria com um fornecedor que ofereça suporte de ciclo de vida para UPS e ativos de distribuição de energia, incluindo suporte de software e hardware.

  • Descarte de baterias e equipamentos: A vida útil e a capacidade da bateria se degradam com o tempo. Você precisará removê-los, substituí-los e descartá-los corretamente. Há questões regulatórias, jurídicas e financeiras a considerar. Descartar até mesmo a menor UPS individual pode custar mais de US$ 100.

    As opções incluem parcerias com recicladores certificados que consigam demonstrar conformidade ou garantir que um novo fornecedor de UPS ofereça esses serviços.

  • Falha ao dimensionar corretamente sua UPS: Calcular cuidadosamente a capacidade real de cada sistema UPS é fundamental para otimizar as operações. Considere o fator de potência para confirmar a carga que a UPS pode suportar.

    O dimensionamento adequado ajudará a reduzir ineficiências e garantirá que o centro de edge não tenha latência não intencional. Além disso, uma UPS verdadeiramente online que fornece energia AC contínua de alta qualidade sem interrupções ao transferir para a bateria, ajudará a proteger os equipamentos de TI.
  • Realização de monitoramento e gerenciamento contínuos: O monitoramento proativo é uma necessidade na proteção de equipamentos de TI valiosos. Os sistemas de controle inteligentes fornecem alertas e percepções proativas, para que a equipe de TI possa resolver problemas emergentes antes que eles causem interrupções caras.

    Investir em uma UPS que esteja pronta para comunicações de rede, monitoramento ambiental do site e gerenciamento de infraestrutura do data center ajudará a impulsionar o desempenho, gerando economias de longo prazo.

  • Obtenção de serviço e suporte: Quando ocorre uma emergência, você precisa de uma resposta rápida para evitar ou limitar o downtime caro. No entanto, os contratos de serviço podem incluir custos ocultos. Revise os contratos para entender quais peças e mão de obra são consideradas padronizadas e quais são os custos de suporte de emergência locais.

    Um parceiro que fornece suporte 24h por dia o ano todo fornecerá cobertura quando e onde você precisar. Um acordo de serviço que cobre 100% da mão de obra, viagens e peças ajudará a proteger ativos e investimentos de edge, garantindo que eles funcionem como esperado.

Edge computing nas indústrias

Com sua riqueza de aplicações, a edge computing tem algo útil para cada organização. O que a edge significa para uma organização obviamente varia com base na indústria, modelo de negócios, metas e requisitos de tecnologia, entre outras variáveis.

Veja como a edge computing está revolucionando indústrias, como educação, saúde, governo e varejo.

edge-computing-accross-industries-ig.png

Edge computing na educação

As instituições educacionais estão usando mais tecnologia do que nunca. Essa tendência aumentou durante a pandemia, pois possibilitou a aprendizagem remota generalizada para os alunos. Embora faculdades, universidades e centros de pesquisa possam operar seus próprios data centers, escolas de ensino primário e secundário não são capazes.

A edge computing suporta aprendizagem remota e móvel, bem como inovações como RV/RA e makerspace, permitindo que os educadores criem experiências interativas e pessoais que promovam o aprendizado.

As instituições educacionais podem facilmente construir ou ampliar sua presença de edge implementando a infraestrutura de TI. Designs de referência podem ajudar a guiar a escolha do equipamento necessário para implantar equipamentos críticos para começar a operar o mais rápido possível e sem problemas. Eles podem configurar racks de rede e servidor ou racks inteligentes seguros e autônomos para obter recursos em pouco espaço ocupado. Ou as equipes de TI podem implementar rapidamente data centers modulares nas dependências da escola para dar suporte à aprendizagem virtual em escala. Todas essas soluções oferecem desempenho confiável, energia e refrigeração integrados. Além disso, eles podem ser colocados em espaços que normalmente não são projetados para TI.

Saiba mais na página da indústria da educação.

800x600-edge-education-.png

Vídeo: A evolução da infraestrutura de TI na educação

Edge computing nos serviços de saúde

Organizações de saúde, incluindo hospitais, clínicas, redes médicas, seguradoras, entidades governamentais e muito mais, estão focadas em impulsionar os resultados dos pacientes. Essas organizações querem oferecer um serviço melhor que aumente o bem-estar do paciente e reduza as reincidências, reduzindo os custos.

Ao mesmo tempo, a tecnologia está revolucionando os tratamentos. As organizações de saúde estão implementando aplicações de telemedicina, dispositivos vestíveis, medicamentos marcados com sensores e outras ferramentas para melhorar o atendimento e a conformidade do paciente, enquanto envolvem os indivíduos mais plenamente em sua jornada de saúde. No entanto, para cumprir seu papel, esses serviços críticos dependem de conectividade contínua e alto tempo de atividade.

A edge computing e a IoT potencializam essas novas aplicações e oferecem o desempenho necessário. A Edge também mantém o processamento e o armazenamento de dados no local, facilitando a conformidade com a Lei de Portabilidade e Responsabilidade de Seguros de Saúde (Health Insurance Portability and Accountability Act, HIPAA) nos EUA e regulamentações semelhantes no exterior. Além disso, a analytics de edge pode criar dados populacionais que ajudam os provedores a alinhar recursos e investimentos com novas tendências.

As organizações de saúde podem usar projetos de referência para implementar com eficiência racks de servidor e rede ou data centers modulares onde for necessário. Elas também podem usar racks inteligentes, colocando unidades seguras e independentes em espaços não tradicionais, como nos corredores dos hospitais.

Saiba mais na página da indústria da saúde.

800x600-edge-healthcare-vid-thumb-.png

Vídeo: A evolução da infraestrutura de TI na saúde

Edge computing em serviços governamentais

As agências governamentais estão buscando modernizar e realizar manutenção em suas infraestruturas de TI. Durante a pandemia, elas enfrentaram uma demanda inigualável por serviços que sobrecarregaram as redes corporativas. Ao mesmo tempo, muitas equipes de TI e de negócios estavam trabalhando remotamente e precisavam de acesso remoto seguro a aplicações e sistemas no local.

As agências governamentais enfrentam requisitos mais rigorosos do que muitas outras empresas e possuem processos de compra complexos. Parte da infraestrutura crítica de um país, o tempo de atividade contínua é uma necessidade, assim como a segurança do sistema e dos dados devido a operações confidenciais. Os orçamentos dos governos estão sempre mudando. O que está disponível em um ano pode ser eliminado no próximo. Como resultado, as agências precisam se mover rapidamente para obter as soluções de que precisam enquanto passam por processos orçamentários complexos.


A edge computing pode ajudar os funcionários públicos a acessar os sistemas de que precisam. Os trabalhadores de TI podem usar o gerenciamento e o monitoramento remoto para ajudar a garantir um alto tempo de atividade dos centros de edge.

Os fornecedores podem oferecer soluções de edge que estejam em conformidade com o setor público, atendendo às regulamentações do governo federal e ajudando as agências a alcançar os objetivos de modernização da Iniciativa de Otimização de Data Centers (Data Center Optimization Initiative, DCOI) dos EUA.

Saiba mais na página da indústria governamental.

Edge computing no varejo