The page you're viewing is for Portuguese (LATAM) region.

Parceiros

The page you're viewing is for Portuguese (LATAM) region.

Por que quase tudo o que você pensava que sabia sobre data centers pré-fabricados é uma invenção

Andrew Donoghue •

Conceitos errados têm o hábito de persistir - especialmente na era das 'fake news'.

Tomemos, por exemplo, a idéia de que a ordem pela qual você bebe vinho e cerveja tenha algum efeito sobre o tamanho de sua ressaca no dia seguinte. Cerveja antes do vinho está ok, mas vinho antes da cerveja? Ai, meu deus!

Na verdade, a ressaca é muito mais relacionada com a quantidade de álcool que você bebe do que com a ordem em que você bebe. A maioria das pessoas no fundo sabe que isso é uma besteira, mas mesmo assim fica feliz em passar o conselho adiante, ou culpar a sua própria dor de cabeça a uma taça de Merlot que não estava programada.

A verdade é que muitas das decisões são tomadas de forma instintiva e com base em crenças arraigadas, ao invés de serem tomadas da forma fria e lógica que gostamos de acreditar que são. E, apesar da riqueza de pesquisas e de inteligência existentes, isso também vale para as decisões tomadas no trabalho (assim como no bar).

A indústria de data centers, assim como outros setores, tem sua boa quota de conceitos errados, mitos e crenças em comum. O fato de ser uma indústria amplamente fundamentada na manutenção da resiliência e da disponibilidade, frequentemente isso significa que o pensamento conservador e constituído muitas vezes tem preferência. É melhor estar seguro (e ficar com aquilo que conhece) do que se arrepender (investir em algo novo ou não experimentado).

Como resultado, existe uma grande amplitude de tecnologias emergentes, e potencialmente disruptivas, que prometem melhorar a eficiência e a eficácia, mas que têm o risco de serem bloqueadas por um pensamento coletivo ultrapassado, ou simplesmente errado.

Tomemos, por exemplo, os data centers modulares pré-fabricados (PFM). Diferentemente das construções convencionais - ou pelo método stick - que dependem de muita construção no site, o PFM envolve a montagem de unidades ou de módulos de infraestrutura de data centers em fábricas e, então, enviados para o site.

A tecnologia já existe há mais de uma década - e há muito mais tempo fora dos data centers. Ela continua a evoluir, com cada vez mais fornecedores desenvolvendo novas tecnologias e serviços.

Apesar deste legado e da evolução contínua, conceitos errados sobre os data centers PFM persistem, incluindo que a tecnologia ainda não é comprovada e que não evoluiu desde os primeiros projetos.  

A lógica, os fatos e as provas nem sempre vencem o pensamento estabelecido, mas vamos tentar; já é hora de esclarecer alguns desses conceitos errados:

Data centers PFM são um produto de nicho

Sim, as instalações PFM ainda ocupam uma parte relativamente pequena do mercado. Mas esta fatia deve apenas crescer. A demanda das provedoras de colocation que gostam de agilidade - a habilidade de adicionar capacidade conforme necessário-, bem como a demanda futura para os novos micro data centers de edge relacionados ao 5G, são apenas alguns dos impulsionadores. De acordo com os analistas da indústria 451 Reserach, o mercado para data centers PFM deve crescer com uma taxa de crescimento anual composta (CAGR) para cinco anos de 14,4% até 2021 quanto terá atingido 4,4 bilhões de dólares. "A metodologia PFM está se tornando a maneira preferida para expandir e construir nova capacidade de data centers, sistemas turnkey ou subsistemas críticos. Apoiada pelos processos industriais, ela tem nítidas vantagens em relação ao controle de qualidade, velocidade de instalação e consistência de construção" disse recentemente Daniel Bizo, analista principal da 451 Research.  

Data Centers PFM são apenas contêineres

O fato de a primeira onda de produtos PFM de empresas de TI como a Sun Microsystems ter sido baseada em contêineres ISO fez com que esse formato continuasse a estar intimamente associado ao termo PFM - talvez em detrimento de uma maior adoção da tecnologia. Embora o PFM abranja agora todo o espectro da infraestrutura do data center - das filas às salas e a até instalações completas, além de infraestrutura de energia e térmica - a percepção de que PFM = contêineres persiste. O desafio contínuo para a indústria de data centers é comunicar a amplitude e a flexibilidade de design que o PFM pode permitir.

O PFM é mais caro que construções convencionais

Uma dos maiores benefícios de um data center PFM é que ele não requer que o valor da rápida implementação seja comparado com os custos adicionais geralmente associados com uma entrega rápida. Os data centers PFM aproveitam a economia de escala e os processos simplificados tornados possíveis pela montagem fora do site para viabilizar uma implementação mais rápida e com um baixo TCO. Os aspectos econômicos do PFM são tão atrativos que eles podem mudar a análise de custo-benefício em relação à expandir uma instalação versus uma nova construção. Um data center PFM pode permitir que uma organização mova um data center para uma localização mais desejável ao mesmo custo de expandir e atualizar uma instalação já existente.

Instalações PFM são menos resilientes e/ou seguras

Sim, alguns dos formatos de PFM, particularmente os designs do tipo contêiner ou mesmo alguns micro data centers, são portáteis; eles podem ser entregues em cima de um caminhão e, se necessário, levados para outro local. Mas essa portabilidade não tem influência na segurança ou resiliência física. Quando cercados pelas mesmas barreiras físicas de segurança - cercas, mantraps, gaiolas de proteção - que as construções convencionais, as instalações PFM são seguras da mesma forma. Na verdade, as instalações PFM também são indiscutivelmente menos propensas a falhas porque alguns testes cruciais, e mesmo algum comissionamento, podem ser feitos em condições de fábrica. A pré-integração de componentes também significa que os problemas de manutenção derivados dos componentes não terem sido instalados adequadamente são reduzidos. Finalmente, na questão da resiliência, a principal organização de certificação para a indústria de data centers, o Uptime Institute, desenvolveu seu programa Tier-Ready para simplificar a certificação de instalações construídas em parte, ou totalmente, usando componentes PFM.

PFM é apenas sobre espaço branco

O PFM não apenas diz respeito a substituição das técnicas de construção convencionais, ou técnica stick, por atacado. PFM é uma tecnologia flexível que pode ser usada para expandir instalações construídas convencionalmente. Por exemplo, unidades PFM especializadas podem ser implementadas para adicionar mais capacidade de alimentação de energia (UPS) ou de refrigeração em um site existente que pode ter espaço branco suficiente, mas está limitado sob uma perspectiva térmica ou de resiliência. Um exemplo específico dessa tecnologia em ação é a família de produtos Power Module da Vertiv. O Power Module é projetado para ser implementado em instalações novas ou existentes que demandem uma forma ágil e flexível para aumentar a distribuição de energia e a resiliência.

As instalações PFM são feias

Os designs de PFM são aplicáveis à tudo, desde instalações completas que são indistinguíveis dos sites construídos convencionalmente, a até micro data centers de um único rack para dar suporte as necessidades de edge computing que podem ser integrados em um prédio de escritórios com um belo design. Um bom exemplo é o antigo data center da T-Systems Cerdanyola del Vallès, em Barcelona. Apesar de ter sido construído usando uma abordagem de PFM, pelo exterior ele se parece exatamente com uma construção convencional. É atualmente um dos maiores data centers modulares da T-Systems na Espanha, com uma capacidade de carga de TI de 1,1 MW, escalável até 5 MW em futuras fases. A instalação também recebeu o prêmio Data Center Market pelo projeto mais inovador na Espanha e teve o reconhecimento do Uptime Institute por proporcionar uma disponibilidade de 99,98%.

Para saber mais porque os data centers pré-fabricados podem ser a abordagem certa para seu próximo data center de edge, core, colocation ou telecom, leia o artigo técnico: Data Centers Modulares Pré-Fabricados: da disrupção à opção padrão.

PARCEIROS

Selecione o seu país e idioma