The page you're viewing is for Portuguese (LATAM) region.

Parceiros

The page you're viewing is for Portuguese (LATAM) region.

Data Center Power Utilization

Utilização de Energia: Uma Grande Infraestrutura de Alimentação Significa Grandes Economias e Possibilidade de Receitas

Peter Panfil •

Capacidade de alimentação em excesso derruba a eficiência operacional e aumenta o OpEX, então, há duas principais razões pelas quais ela existe: um processo de especificação abaixo do ótimo e o desejo natural dos seres humanos por uma margem de segurança.

Sendo uma líder em infraestrutura de data centers, não é incomum para os profissionais da Vertiv se reunirem com organizações grandes e respeitadas cuja utilização dos sistemas de alimentação esteja abaixo de 20%. Claramente, há espaço para melhorias e essas melhorias podem trazer economias em OpEx significativas.

Participei recentemente de uma série de masterclasses para consultores e fiz uma pesquisa improvisada. Apenas 1 participante de uma sala cheia indicou que objetivavam 100% ou mais do limite máximo. Quando perguntei as pessoas por que eles não miravam em 100% ou mais, as respostas foram uma mistura de não querer operar na potência nominal do equipamento e a abordagem conservadora de seus clientes.

Para colocations, isso pode representar uma perda de oportunidade de receita. Se pudermos ajudá-los a recuperar, digamos que 360 kW de capacidade em uma localização principal, quanto isso valeria? Não é tão difícil descobrir. Se aquela capacidade pudesse ser vendida por 1.000 dólares por kW (para facilitar os cálculos), seriam 360.000 dólares. Certamente vale seu tempo e esforços para analisar.

Os data centers mais progressistas, especialmente os maiores dos maiores, estão cada vez mais interessados em alcançar essas economias.

Há duas maneiras de mudar a equação da baixa utilização da potência:

  • De baixo para cima, adicionando cargas de TI. Vimos algumas colocations vender mais capacidade do que originalmente planejaram para aumentar a utilização da potência.
  • De cima para baixo, dimensionando corretamente a infraestrutura de alimentação de energia. Como uma provedora de infraestrutura, a melhor forma de ajudar é dimensionando corretamente a infraestrutura de alimentação de energia no front end.

Aqui estão três das principais ideias para uma infraestrutura de alimentação de energia que entregará o melhor retorno:

  1. Dimensionar seu sistema de alimentação com precisão: otimizar a capacidade dos UPSs

    As organizações de compras são bem-intencionadas, mas tendem a aderir à uma prática comum que atrapalha a utilização: comprar com base no menor denominador comum ao invés de com base nas dimensões ótimas de kW. Por exemplo, especificar um sistema UPS 800 kW custa menos por kW inicialmente que um sistema 750 kW. Como os disjuntores no equipamento são os mesmos entre 750 e 800 kW, se um 750 kW for selecionado, 50 kW estarão sendo abandonados, aumentando o custo do sistema por kW.

    Os clientes estão cada vez mais avaliando o custo com base no custo por kW. Não tenho problemas em dizer aos clientes quando eles estão estagnando capacidade e aumentando seus custos por kW.

    O UPS é apenas o elemento mais óbvio, mas há oportunidades de recuperar capacidade estagnada em cada etapa da cadeia de alimentação de energia. Adequar as capacidades em toda a cadeia - quadro de entrada, quadro de saída, chave de transferência estática, UPS - traz a utilização máxima. Qualquer outra coisa estagna capacidade.

    Se você puder dar esse passo, você poderá economizar 7 ou 8% nos custos operacionais do sistema de alimentação de energia.

  2. Demover o mito da margem de segurança: Buscar 100% de uso do limite máximo

    A maioria dos limites máximos de UPSs - sua "capacidade que não deve ultrapassada" - são definidas para menos que 100%. A Vertiv incentiva o uso do UPS em 100% e, em alguns casos, o UPS é especificado a mais do que isso em uma dada temperatura.

    Então, por que não usar essa capacidade?

    Existem empresas de classe mundial, extremamente dependentes de TI, que definem o limite máximo de seus UPSs em 100% ou mais. E mais empresas estão indo nessa direção de acordo com conversas que temos tido.

    Definir o limite máximo em menos de 100% fazia sentido há cinco ou dez anos, quando gerenciar a carga de TI para 80% da capacidade máxima do UPS era o padrão. As cargas estavam defasadas e precisavam mais de kVA do que de kW. Mas em nosso mundo sem transformadores, com um grau de variabilidade tirado da equação, esse não é mais o caso. O sistema de alimentação de energia é mais preciso e você pode operar mais perto da capacidade nominal do UPS ao invés de dos kVAs.

    Há diversas razões pelas quais as organizações evitam mudar seus limites máximos para 100%: falta de dados de consumo em tempo real, capacidade total de carga inconsistente dada pelos fornecedores e o medo de sobrecarga. Se você puder alinhar as estrelas, isso pode cortar de 5 a 10% dos custos.

  3. Reduzir a autonomia das baterias

    A maioria das organizações tem pelo menos 5 minutos de autonomia das baterias e isso se deve, em grade parte, aos fornecedores de baterias VRLA não darem garantia em baterias com menor autonomia.

    Com a maior adoção da tecnologia de íon-lítio para baterias e fontes alternativas e inteligentes de energia de backup, isto está mudando. O que é verdadeiramente necessário é exatamente o tempo que os geradores levam para entrar em funcionamento e dar suporte à carga. Se sua equipe de operações puder provar repetidamente que apenas 2 minutos são necessários, então 2 minutos é o que deve ser prescrito.

    Se você diminuir a capacidade de suas baterias para exatamente o quanto é necessário para fazer a ponte com a energia de backup, você pode economizar outros 17 a 24% nos custos operacionais com energia.

Se isso é tão preto no branco, por que todo mundo não está fazendo?

Essas são apenas três das áreas onde podem ser feitas as maiores economias. Outras estratégias podem ser adotadas, como simplificar o paralelismo do UPS, minimizar ou eliminar as PDUs redundantes e converter os UPSs de entrada dupla para entrada simples. Quando você faz uma abordagem completa, as economias nos custos operacionais podem alcançar até 50% em relação a um sistema não otimizado.

Mas mesmo que você dê somente esses três passos, você pode economizar mais do que um terço do custo operacional do seu sistema de alimentação de energia e liberar capacidades significativas. Então, por que todo mundo não está fazendo isso?

Existe uma razão simples: Precisa ter coragem. É mais fácil e mais confortável ter um amplo espaço de manobra. Mas com margens super estreitas, especialmente nas colos, e diversas maneiras de alcançar uma disponibilidade de cinco noves, resgatar capacidade se torna uma prioridade. Adoraríamos ajudá-lo a explorar formas de reduzir seus custos operacionais e manter seus SLAs.

  

Assine nosso blog e se mantenha informado sobre as últimas tendências, tecnologias e novidade.
PARCEIROS

Selecione o seu país e idioma