The page you're viewing is for Portuguese (LATAM) region.

Parceiros

The page you're viewing is for Portuguese (LATAM) region.

Eco-Insights: Clientes pressionando data centers para que tenham um enfoque mais verde

Daniel de Vinatea •

Clientes Pressionam Data Centers para que Olhem Além da Eficiência Energética para Fomentar a Sustentabilidade

Os data centers há muito tempo buscam formas para reduzir seu uso de energia. Contudo, com os clientes, incluindo provedores de colocation e de cloud computing, as teles e instituições financeiras, tendo programas próprios de sustentabilidade, os operadores de data center estão precisando olhar além da eficiência energética para ter um enfoque mais holístico em relação a se tornar “mais verde”.

“Os data centers estão sendo levados pelos clientes a reduzir a pegada de carbono, o consumo de energia, de água e de matérias primas e a quantidade de resíduo que produzem”, diz um estudo do escritório de advocacia internacional Norton Rose Fulbright.

Um estudo da Vertiv sobre a importância do gerenciamento de energia para o sucesso do 5G observa que, embora as redes 5G sejam 90% mais eficientes do que suas antecessoras de 4G, mesmo assim elas demandam substancialmente mais energia. Isso se deve a uma variedade de fatores, incluindo maior densidade da rede, dependência pelos sistemas de TI, maior uso da rede e crescimento acelerado do tráfego. O estudo sugere que as teles precisam enfrentar o desafio através da adoção das melhores práticas de eficiência energética pelas redes e encorajando seus clientes a adotarem serviços habilitados pelo 5G para reduzir o consumo e as emissões em todas as esferas.

A eficiência energética é agora apenas uma parte da equação, embora seja uma parte essencial. Um estudo da McMinsey sobre a busca das operadoras de telecom por redes mais verdes verificou que, embora 15% do uso de energia das teles seja consumido durante a transferência de dados, os restantes 85% são desperdiçados pela perda de calor e outros fatores. As teles, diz o estudo, são responsáveis por ao redor de 3% da demanda global de energia.

A McKinsey identificou quatro maneiras de reduzir o consumo e os custos de energia:

  • Soluções de desligamento orientadas por IA para parar o funcionamento de sistemas que não estiverem em uso enquanto calibrando para ótimas as configurações dos equipamentos de forma a restringir o desperdício
  • Uso de otimização de energia com base na IoT para proporcionar leituras precisas do consumo usando sensores que medem com precisão a entrada e o uso da energia vinda da rede elétrica, ajudando a detectar potenciais problemas e emitindo alertas em tempo real
  • Fazendo transformações estruturais e arquitetônicas para, entre outras medidas, migrar para sistemas cloud-RAN e “nuvem limpa”
  • Avaliando estrategicamente a origem da compra de energia.

“Não vemos motivos para que todas as necessidades de energia da maioria das operadoras de telecom não sejam supridas com energia verde até 2030, diz McKinsey. A Vertiv proporciona aos clientes soluções que os aproxima dessas metas. Em outubro de 2021, a Vertiv fez uma parceria com a Honeywell para dar suporte a mais sustentabilidade aos data centers. Sua primeira oferta é uma solução de gerenciamento de energia inteligente (VertivTM HMX 6500R) que apresenta um sistema integrado de controle e gerenciamento de recursos de energia, combinando armazenamento de energia, analytics, previsões e otimização econômica para ajudar a atingir metas de sustentabilidade.

Enquanto isso, os clientes querem os resultados mensuráveis que as soluções da Vertiv entregam. “Clientes de data centers querem medições de sustentabilidade transparentes e quantificáveis”, diz a Norton Rose Fulbright. Embora as métricas de eficiência para a sustentabilidade de data centers incluam PUE (Eficácia na Utilização da Energia), WUE (Eficácia na Utilização da Água) e CUE (Eficácia na Utilização de Carbono), o Green Grid, um consórcio da indústria de data centers sem fins lucrativos e que desenvolveu essas métricas, está adicionando uma nova – IUE (Eficácia na Utilização da Infraestrutura).

De acordo com o Green Grid, a nova métrica foi criada para ajudar a identificar a quantidade de capacidade da infraestrutura determinada pelo projeto que um data center operacional pode efetivamente usar. Ao medir os data centers por eficácia, usando uma faixa de 0% a 100% do IUE real, o sistema ajuda a destacar possíveis deficiências no uso da infraestrutura ou capacidade ociosa.

Medições feitas por data centers incluem o uso de “aluguéis verdes” que permitem melhorias no desempenho ambiental de um prédio e alinha as metas de sustentabilidade do locador e do locatário. Os data centers também estão escolhendo com mais cuidado os materiais de construção e os designs que usam. “Cada vez mais, os proprietários e operadores de data centers estão avaliando e selecionando materiais de construção e de infraestrutura interna com base no desempenho ambiental e implicações como a pegada de carbono, produtos químicos perigosos e oportunidades de reciclagem e restauração”, diz o relatório da Norton Rose Fulbright.

A tecnologia é um importante impulsionador da sustentabilidade. “A tecnologia é usada em data centers para monitorar o consumo de energia, o uso de água, a temperatura, a umidade e os ciclos de pico de demanda e pode servir a várias funções, incluindo temperatura inteligente e controle de iluminação, recuperação de águas pluviais, reciclagem do calor residual e refrigeração eficiente”, acrescenta e empresa de advocacia.

A água, usada nos data centers para refrigeração, é o próximo grande passo rumo a uma abordagem mais holística. “Quase 40% da energia consumida por um data center pode ir para a refrigeração. O uso de tecnologias de refrigeração evaporativas a base de água tem sido uma ferramenta comum para reduzir o consumo de energia. Essa redução no consumo de energia vem às custas do aumento no uso de água. Os operadores de data centers estão ampliando seus esforços para reduzir a dependência pelo suprimento de água, conforme os movimentos globais de sustentabilidade aumentam o foco na água como um recurso finito”, observa Norton Rose Fulbright. Isso envolve diversas táticas, incluindo o uso de sistemas de refrigeração que demandem menos água, implementando programas de recuperação de águas pluviais e reciclagem de água.

 “O consumo de água está caminhando para se tornar um fator de sustentabilidade tão visível para os data centers quanto o consumo de energia. Vários agentes na indústria de data centers estão rastreando seu uso de água e reportando-o em suas métricas de desempenho e de sustentabilidade”, diz Norton Rose Fulbright, observando que a gestão de resíduos é outro fator em crescimento. “Proprietários de data centers, operadores e clientes também consideram materiais residuais e calor residual ao avaliar a sustentabilidade e a eficiência. A capacidade de documentar um zero impacto líquido da cadeia de resíduos tem o potencial para emergir como uma métrica importante para os fornecedores de serviços de data center, pois clientes consideram os programas de sustentabilidade de seus data centers em sua totalidade.

PARCEIROS

Selecione o seu país e idioma